DOBRAS VISUAIS

Fotografar a fotografia

Curso Fotografar a fotografia

Em Um passeio pelos monumentos de Passaic, o artista Robert Smithson relata a experiência de vagar pela cidade americana onde nasceu, identificando marcos nesse deslocamento para tratá-los como monumentos. Ali observa o brilho do sol sobre uma ponte e reconhece outras tantas imagens como aquela, já vistas anteriormente, escrevendo em seu relato que fazer uma fotografia daquilo seria como “fotografar uma fotografia”.

O escritor Italo Calvino, no conto a Aventura de um Fotógrafo, relata a vida de Antonino, personagem que vivencia uma transformação ao ser atraído a virar fotógrafo e passa a questionar o poder dessas imagens em sua vida. Antonino torna-se imanente a um processo que o leva a uma encruzilhada: ou passa a viver fotograficamente, ou passa a considerar fotografáveis todos os momentos da vida. Crítico de si, avalia que “fotografar a fotografia” seria o único caminho possível para algo que se tornara essencial à sua existência.

“Fotografar a fotografia” sugere, nos dois casos, uma estreita relação com a história das imagens, tanto no relato do artista quanto no do personagem da ficção. Assim, com base nessa introdução, o curso visa refletir sobre essa expressão que se desdobra em distintos trabalhos de artistas a partir dos anos 1960, apontando seu caráter crítico e estruturante que ainda reverbera na atualidade. Investigar diferentes estratégias artísticas cujas pesquisas esbarram no sentido dessa afirmação como procedimento é o objetivo proposto.

Sesc Belenzinho, outubro/2015.

SESC SP | Aulas | Fotografar a fotografia