DOBRAS VISUAIS

Paulo Rossi e os Homens do século XX

August Sander

Agora é a vez de Paulo Rossi, amigo querido que se mudou para João Pessoa, apresentar sua dissertação de mestrado sobre o fotógrafo August Sander na Faculdade de Sociologia da Universidade de São Paulo. Paulo também estava presente no deVERcidade com Corpos e flores para Iemanjá. Leia abaixo o que ele nos diz sobre o trabalho que vai apresentar:

“Minha dissertação de mestrado, “August Sander e Homens do século XX: a realidade construída”, representou o desafio de estudar a trajetória e a obra fotográfica do fotógrafo alemão August Sander (1876-1964) no campo da sociologia da arte. Não se tratava, no entanto, de se discutir apenas o conteúdo da obra como me propus no início, mas sim de articular um manancial de informações relacionado ao ambiente fotográfico da época, ao contexto sócio-político da Alemanha e à biografia do fotógrafo, com as propriedades visíveis (técnica, estética, poses, trejeitos, cenário) que pude identificar em alguns dos mais de 600 retratos que compõem Homens do século XX (HSXX).

O princípio que norteou toda minha reflexão é de que Homens do século XX é a narração da interpretação de Sander sobre aquele período histórico da Alemanha. Deste ponto de vista, a análise empreendida não interpreta somente a obra, mas também interpreta a interpretação circunstanciada daquele que a concebeu. Não se trata, portanto, de um estudo sobre os fatos narrados por Sander, mas sim sobre a forma como ele os narrou, sua percepção do mundo inscrita na interpretação que ele faz do real circunstanciada por diversos fatos sociais. E a leitura que fiz de sua interpretação e percepção do mundo passou obrigatoriamente num estudo minucioso dos aspectos técnicos e formais dos retratos e das demais propriedades visíveis.

Na primeira parte da pesquisa fiz uma exaustiva descrição de alguns auto-retratos realizados por August Sander. Por meio da análise das propriedades visíveis dessas imagens, articuladas a todo um conjunto de informações do contexto da época e da biografia de Sander, procurei reconstruir a experiência social do fotógrafo (sua trajetória profissional e social) no interior de um dado universo social.

Este procedimento metodológico levou à hipótese central da pesquisa discutida no último capítulo: mais do que representações de tipos sociais, como de fato acreditava Sander, HSXX consiste antes num conjunto de estereótipos no sentido de seus retratos serem realidades construídas que correspondem a um modo de percepção social. Enquanto à percepção do real, a maioria dos retratos corresponde a estereótipos pré-concebidos socialmente. O retrato de Sander que melhor serviu para a fundamentação desta reflexão foi o Vendedor turco de ratoeiras, 1929. Os próprios auto-retratos de August Sander correspondem a esse duplo estereótipo, de um lado ele constrói realidades condizentes com o modo como ele deseja ser visto, e de outro suas imagens respondem a imagens pré-concebidas do homem e da família burguesa.”

Dia 08/03/2010 (segunda-feira) às 15 h, no prédio da administração da FFLCH-USP. A defesa é pública e todos estão convidados!

Baixe aqui o arquivo da dissertação: August Sander e Homens do Século XX.

August Sander

August Sander

6 Comentários

  1. Márcio Ramos
    08/03/2010

    Adorei este origami fotografico.

    Acabei de ler que a defesa da tese é aqui ao lado na USP.

    Parabéns, gostei mesmo.

    Sucesso!

  2. dobrasvisuais
    09/03/2010

    Olá Márcio, grata pelos comentários!

  3. jéssica mangaba
    09/03/2010

    ah! como é ruim saber das coisas no dia seguinte. não tinha visto esse post, perdi.

  4. dobrasvisuais
    10/03/2010

    Ahh, que pena… A defesa foi muito bacana e o Sergio Miceli deu uma aula para todos nós. Bj

  5. Paulo Rossi
    10/03/2010

    Lívia, vou te mandar o arquivo em pdf, pode publicá-lo, aliás, ele foi feito para ser lido. Beijos.

  6. :::Icônica:::::::
    08/10/2012

    [...] depois a excelente dissertação de Paulo Rossi, “August Sander e Homens do século XX: a realidade construída”. Ali eu pude ver precisamente nomeadas as categorias que nortearam essa documentação, segundo a [...]

Deixe uma resposta