DOBRAS VISUAIS

deVERcidade

Projeções do deVERcidade

Muitas coisas boas aconteceram no deVERcidade, encontro organizado pelo IFoto em Fortaleza nos dias 24 a 28 de fevereiro. Como cheguei no terceiro dia, fui cedo para bisbilhotar o que estava acontecendo, ver a exposição e encontrar os amigos. Dei de cara com o Tiago Santana muito solicito me dizendo que as projeções começariam logo que a noite chegasse. Mal sabia eu do que se tratava… Montada numa ruina, a exposição marcava presença “pelos olhos, boca, narinas e orelhas”, como nos sugere a música de Caetano. Com o céu a mostra, o movimento das nuvens se misturava com as imagens e tudo ali evocava sensações.

Passado o primeiro instante do encantamento pude apreciar os trabalhos e ver as projeções de pessoas queridas: Paulo Rossi, Ana Dalloz, Daniel Ducci. Também estava presente ali no meio Poeira da terra e do tempo daquele lugar. Mas nas três noites que andei por estas imagens fiquei sempre com a sensação do todo que o espaço expositivo sugeria, da possibilidade de conectar projetos diferentes e pensar que um evento como esse possibilita estarmos ali refletindo sobre nossos processos.

Alguns dias antes da viagem um convite pra lá de especial… Os amigos Pio e Carol da Cia de Foto me chamaram para estar junto no workshop que dariam em Fortaleza. Fica aqui marcada a  troca de idéias, a generosidade em abrir espaços e o reforço de que a fotografia pode ser dita contemporânea na medida das experiências que surgem a partir da sua mediação.

Na última noite, mesmo cansados de toda a maratona, sentamos juntos para assistir Câmara Viajante (2007) de Joe Pimentel e Cinema de Dois Tões (2008) de Luiz Santos. Ali a fala de Tonho Ceará, fotógrafo lambe-lambe protagonista do segundo filme, encerrou este grande encontro: “Se o sujeito disser que a fotografia não é coisa interessante, eu não falo mais com ele.” E vou repetir…

Foto: Chico Alagoano e Cícera Barbosa.

+ Instantâneos de Chico Alagoano e Cícera Barbosa